Confira os principais problemas que causam perda de cabelos nas mulheres

Algumas condições podem abrir verdadeiras clareiras na cabeça tanto de homens como de mulheres. Veja algumas das principais e entenda porque a calvície exige uma investigação.

Postado em 16/03/2018.

A diminuição dos fios de cabelo não é uma doença, na verdade é um tipo de sintoma, tanto dos males que atacam apenas o couro cabeludo, como os que também poderão agredir outras partes do nosso corpo.

A partir de um artigo de uma universidade inglesa, a visão mais moderna de saúde capilar auxilia no diagnóstico de problemas que podem passar despercebidos, assim como poderá aumentar a taxa de sucesso do tratamento contra a calvície, ou alopecia como apontam os especialistas.

Lidar com queda de cabelo da mesma forma é uma conduta que pode ser levada como ultrapassada e ineficaz, para isto, inicialmente é necessário que se monte um quebra cabeças com uma boa avaliação em um consultório, e exames eventuais para depois começar a agir sobre o problema.

A maior parte das carecas acabam surgindo em virtude do envelhecimento e uma predisposição hereditária a alopecia androgenética, esta que ocorre nos dois sexos e é gerada por uma conversão de doses altas de testosterona e outros hormônios que fragilizam os fios de cabelo. Não se justifica porém o ato de menosprezar a perda de cabelo ou a tratar com uma questão puramente estética principalmente se ocorrerem em decorrência de outras alterações.

Confira alguns fatores que geram a perda de cabelos nas mulheres:

Confira os principais problemas que causam perda de cabelos nas mulheres

Síndrome metabólica

Algumas doenças, como diabetes, hipertensão, obesidade e triglicerídeos altos, acabam levando até mesmo os vasos que irrigam o couro cabeludo, a partir delas o sangue não chega á região como deveria, deixando o local sem a nutrição adequada.

Existe também uma situação que é bastante aceita de que os distúrbios, em especial o diabetes, possam provocar uma inflamação de cunho crônico que poderá comprometer a integridade capilar. É importante porém que para que se possa entender o que ocorre, o melhor a fazer é visitar médicos com regularidade e realizar muitos exames quando necessário.

O cigarro

Outro problema sério, aponta que os fumantes possuem um maior risco de sofrer com problemas capilares. Se acredita que as substâncias consideradas tóxicas do cigarro acabam por enfraquecer as mechas dos cabelos. Como acontece com a síndrome metabólica, por anos e anos tragando e soltando a fumaça, é possível levar a uma degeneração de vasos que abastecem as extremidades do corpo, no caso ocorre principalmente no couro cabeludo.

Disfunções de tireóide

A tireóide é uma glândula que fica alojada no pescoço, e dita o ritmo do organismo inteiro. Os processos de crescimento e de renovação capilar não ficam de fora. Se a estrutura em formato de borboleta fabricar doses elevadas de hormônios T3 e T4, ocorre o quadro chamado de hipertireoidismo, o que acaba acelerando a reposição de células do couro cabeludo, deixando a careca exposta.

Existem ainda pessoas que contam com uma versão mais branda de hiper ou hipotireoidismo. Não se pode saber se estes quadros afetam diretamente o couro cabeludo, mas vale a pena os considerar e investigar possíveis quedas de cabelos.